Viajando (e competindo) pela França sobre uma bicicleta

Eu adoro jogos de esporte e sempre achei que, além de obviamente recriá-los, eles podem ser uma ótima maneira de conhecermos as regras de modalidades com as quais nunca tivemos muito contato.

Por exemplo: foi com a série Madden — lá na época do Mega Drive — que pude saber como funcionava o futebol americano, esporte que acabei me tornando grande fã e por isso, quando surgiu a oportunidade de jogar o game oficial da maior competição de ciclismo do planeta, não pensei duas vezes.

Ao contrário do que muitos pensam, um evento como o Tour de France está muito longe de ser apenas um bando de sujeitos pedalando para ver quem chega primeiro. Com as equipes formadas por vários atletas, existe muita estratégia envolvida em cada etapa, com as provas parecendo mais uma disputa de xadrez.

Isso fica bem claro ao iniciarmos o Tour de France 2017, jogo disponível para PlayStation 4 e Xbox One. Ao passarmos pelo seu tutorial seremos apresentados a uma grande quantidade de variáveis que precisam ser controladas durante as provas e ali percebemos que este é jogo que exige atenção.

Outro ponto que o tutorial me mostrou, mas que só pude confirmar ao participar de algumas etapas, é que talvez nem seja correto considerar este como um jogo de corrida. Sim, nós temos total controle sobre os ciclistas, inclusive podendo alternar entre qualquer um da equipe quando quisermos, mas no fundo, o Tour de France 2017 está mais para um jogo de gerenciamento.

Isso porque além de termos que nos preocupar com diversos atletas, seja lhes dando ordem para atacar (que significa dar um sprint para se descolar do pelotão) ou defender certos integrantes, ainda teremos que nos preocupar com a resistência de cada um e acredite, você não vai querer ficar sem fôlego nos quilômetros finais.

Falando assim, pode até parecer que já me tornei um expert no assunto, mas isso está muito longe de acontecer. No momento ainda estou tentando entender as nuances do esporte, as muitas estratégias que podem me levar ao pódio e fazer com que a minha equipe não perca o pique antes da linha de chegada. E neste sentido o Tour de France 2017 tem sido um ótimo professor.

Além disso, o game pode até não conseguir estar entre os mais belos desta geração, muito menos reproduzir fielmente as belas paisagens rurais do interior da Europa, mas nem por isso eu o consideraria feio e por diversas vezes me peguei girando a câmera apenas para ver os cenários que cercam as estradas e para ser sincero, essa talvez seja a característica o mais legal do ciclismo de estrada.

Post Author: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.