VidaExtra! #05 – As franquias esquecidas pela indústria

VidaExtra-05

Quem acompanha meus textos há alguma tempo deve ter percebido o quanto sou apaixonado por jogos antigos e por isso o VidaExtra! de hoje terá um significado especial, afinal faremos uma viagem ao passado.

Durante o programa falaremos um pouco sobre várias franquias que por um motivo ou por outro foram esquecidas e mesmo com os inúmeros apelos por parte dos fãs, as detentoras dos diretos autorais continuam relutando em ressuscitá-las.

Para quem também cresceu jogando alguns dos maiores clássicos dos games, acho que este quinto episódio será bastante nostálgico e gostaria de convidá-los para deixar comentários e perguntas através do Youtube ou da hashtag #VidaExtra, pois sua participação certamente enriquecerá bastante a discussão.

Então, a transmissão irá ao ar a partir das 20h e caso você não possa assistir ao vivo, não custa lembrar que o vídeo permanecerá online e nos próximos dias atualizarei este post com a versão em áudio.

Nos vemos mais tarde e, Vida Extra para todos!

 

Autor: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.
  • Corrigindo minha falha e baixando esse como primeiro episódio para conhecer o podcast 😀

  • Para quem não sabia, os controles do MSX, Atari, Master System e Mega Drive eram eletricamente compatíveis. Ou seja, o conector de um entrava no outro e o D-PAD (manche, no caso do MSX) funciona sem problema algum em todos eles. E os botões também, no limite disponível em cada um (2 no MSX e Master, 1 no Atari e 4 no Mega: não esqueçam o START). E não era só por ser o mesmo conector DB9, pois os nintendo-clones (quase) todos usavam o mesmo conector, mas não eram compatíveis com esses controles, pois o esquema de comunicação era diferente: no MSX, Atari, Master System e Mega, cada pino que não fosse o TERRA ou o +5v era um comando diferente, enquanto os nintendo-clones usavam comunicação serial 🙂

  • Assunto legal, mas tenho uma ressalva. Posso?

    O arquivo MP3 está exportado em Joint Stereo. Cara, como eu ODEIO isso. Por quê? Porque o áudio dá pau em TODOS OS PLAYERS PORTÁTEIS que já usei na vida, desde o meu mp4 xing-ling da DX.com, passando por um Nokia E51 até os Samsung Galaxy S e S4. O áudio fica oscilando, pulando, picotando aleatoriamente. Eu deixei de ouvir certos podcasts justamente por conta desse problema, pois era forçado e sempre converter o áudio para MONO no desktop antes de passar para ouvir no celular

    • Valeu pela observação Marcio, vou ver se consigo resolver.

      • Agora que li direito o que escrevi e ficou um tanto ríspido. Era para ser mais uma observação. Mas é verdade. Não sei se usuários de iPhone não sentem isso, mas eu nunca dei sorte com áudios exportados desse modo. Stereo e Mono vão na boa, mas Join-Stereo é danado para dar problema de áudio comigo

  • Pingback: VidaExtra! #07 – As franquias esquecidas pela indústria (2ª Parte) | Vida de Gamer()