Os melhores jogos de 2016

No ano passado a eleição de melhores do anos aqui no Vida de Gamer foi feita através um VidaExtra! especial, quando cada participante apontou os seus escolhidos. Logo depois publicamos um resumo de cada categoria, mas dessa vez a votação será um pouco diferente.

Abaixo você confere as escolhas de alguns amigos para cada uma das categorias, assim como uma breve justificativa para seus favoritos e com isso esperamos que conheçam alguns jogos que consideramos interessantes. Além disso, abrimos o espaço para que você participe citando os seus escolhidos. Então vamos lá!

Quem participou da votação:

➧ Melhor Jogo Indie

DoriPedroJoão
Owlboy Esta é uma categoria que considero muito difícil, pois muitos foram os títulos indies que tive o prazer de jogar esse ano. Inside, Firewatch, Abzû, Salt & Sanctuary… As opções foram muitas, mas acho que o prêmio fica muito bem entregue ao Owlboy, jogo que só fui conhecer no finalzinho do ano, mas que surpreendeu a cada momento.

owlboy

Inside Se Limbo trazia uma atmosfera aterrorizante, Inside aposta no aspecto depressivo. Com uma mistura de surreal e bizarro, o game quebra paradigmas de narração e de argumento, e desponta como um dos maiores títulos do ano, brigando de frente com pesos-pesados como Uncharted 4 e Overwatch.

inside

Essa categoria foi a mais difícil de todas, com certeza absoluta. Até porque nenhum dos jogos tem o mesmo estilo, sua única similaridade mesmo é serem indies e nada mais. Com Sheltered, temos um survival pós-apocalíptico maravilhoso e que ataca as entranhas da pessoalidade: a ideia do jogo é você colocar sua família nele como sobreviventes.

Darkest Dungeon traz o stress e o medo para nossos queridos RPGs e Dungeon Crawlers, com uma arte maravilhosa e uma dificuldade de dar inveja a muitos roguelikes. Enquanto isso, Halcyon 6 faz praticamente uma homenagem a jogos como X-COM, Master of Orion e outros 4X, e até mesmo jRPGs de maneira magistral!

Clockwork Empires foi produzido pela Gaslamp, os mesmos gênios que nos deram Dungeons of Dredmor, e é um city-builder incrível, desenvolvido praticamente em parceria com a comunidade em Early Access, com desenvolvedores sempre em contato com o público nos fórums.

Fechando a lista, e minha provável escolha, vem com Orwell, que te coloca na pele de um “analista de conteúdo e investigador dentro do Grande Irmão” em um país fictício, com uma interface e um enredo dignos de palmas de pé. Não quer comprar? Baixe a demo e tire suas conclusões, pois ele possui todo o primeiro capítulo do jogo.

orwell

➧ Melhor Multiplayer

DoriPedroJoão
Dark Souls III Eu não joguei muitos multiplayers esse ano, mas mesmo tendo gostado do Overwatch, minha escolha é pelo Dark Souls III. Tudo bem, a maneira como o jogo funciona online não difere muito do que vimos nos antecessores, mas não acho que isso possa ser considerado um defeito, muito pelo contrário.

darksouls3

Tom Clancy’s: The Division Quando eu penso em uma boa experiência multiplayer, procuro mais nos jogos o aspecto cooperativo acima do competitivo. Além disso, entendo que a história deve explicar muito bem o gameplay, trabalhar em sintonia e explicar por que fazemos cada coisa no jogo. Nenhum outro jogo em 2016 conseguiu chegar perto do conceito estabelecido por Tom Clancy’s: The Division.

the-division

SpeedRunners Esse assunto é complicado porque multiplayer sempre envolve trocentos fatores, né? Daí o motivo pra eu colocar de um lado Tom Clancy’s: The Division, um AAA fenomenal (apesar de uns problemas já bem noticiados) e SpeedRunners, um indie bem simples mas extremamente divertido! Praticamente impossível a escolha, mas se fosse pra recomendar um só, acho que eu diria: depende dos seus amigos, e do seu gosto. Se você tiver mais três amigos, vá de SpeedRunners que você vai se divertir PARA CARALHO.

speedrunners

➧ Melhores Gráficos

DoriPedroJoão
Abzû Outra categoria que me deixou em dúvida, mas no fim das contas fico com o Abzû. Com uma direção artística fantástica e uma bela recriação da vida marinha, o jogo é mais uma demonstração de que não é preciso gráficos fotorealistas para fazer com que algo seja bonito.

abzu

Uncharted 4: A Thief’s End Uncharted 4 não é apenas uma evolução do terceiro título da série principal de Nathan Drake, ele eleva a franquia para um outro patamar. A Naughty Dog sabe trabalhar com gráficos de ponta, já provou isso em diversas ocasiões. Agora, e mais uma vez, ela trouxe um trabalho impecável, de encher os olhos.

uncharted-4

Civilization VI Inicialmente eu estava em dúvida nesse, colocando junto X-COM 2, Stellaris, Deus Ex: Mankind Divided e Civilization VI… mas no final das contas, entre todos esses, meu favorito ficou com a arte de Civ VI, até pela mudança inesperada no estilo dos gráficos, se comparado com as duas edições anteriores da série.

civ-6

➧ Melhor Trilha Sonora

DoriPedroJoão
Mafia III – Embora eu precisa fazer menção ao incrível trabalho feito nas trilhas do Abzû e do Owlboy, qualquer jogo que toca All Along The Watchtower já no seu menu e que está recheado de músicas do Creedence, dos Rolling Stones e vários outros ícones dos anos 60 merece meu respeito. Por isso minhas escolha é o Mafia III.

mafia-3

Mafia III Se Mafia III decepcionou com o seu gameplay  e história, trouxe uma trilha sonora impecável e envolvente, com muito blues e jazz. Sem dúvida, isso ajudou muito a compor o clima e o cenário da fictícia New Bordeaux, cidade que marca muitas semelhanças com a New Orleans.

mafia-3-3

Darkest Dungeon – Outro que ficou até os 45 do segundo tempo no empate, por ambos terem trilhas sonoras maravilhosas e muito bem tematizadas! Mas no final das contas, a de Darkest Dungeon ganhou, foi a que mais contribuiu para a atmosfera do jogo, inclusive!

darkest-dungeon

➧ Melhor Enredo

DoriPedroJoão
Firewatch – Embora alguns tenham reclamado do seu final, crítica com a qual não concordo, tanto o roteiro quanto os diálogos do Firewatch me encantaram. Desde sua dolorosa abertura até o singelo desfecho, esse jogo conseguiu me proporcionar uma das histórias mais bonitas e tocantes que já vi em um jogo eletrônico.

firewatch

Uncharted 4: A Thief’s End – O game trouxe os melhores gráficos do ano, mas também acertou em cheio no enredo. Personagens cativantes e muito bem interpretados são a chave para contar uma história que deixa o jogador preso na frente da TV, sempre querendo saber o próximo passo de Drake, e qual será a nova revelação.

uncharted-4-2

Orwell Esse daqui só vai levar o voto, sem comentários. Jogue e entenda. Ou vá ler spoiler, eu que não vou estragar =p

orwell-2

➧ Melhor Relançamento

DoriPedroJoão
Dragon’s Dogma Eu sou um grande fã de Dragon’s Dogma, mas quando o joguei no PlayStation 3, fiquei pensando como ele poderia ficar fantástico no PC. Demorou, mas finalmente o game saiu para a plataforma e com todo o esplendor proporcionado por uma máquina mais forte, tem sido uma maravilha poder explorar novamente essa fantástica aventura.

dragons-dogma

The Elder Scrolls V: Skyrim – A remasterização de Skyrim para o Xbox One e PS4 melhorou substancialmente os gráficos do game lançado em 2011. A engine do game foi explorada ao limite, para aumentar ainda mais a longevidade deste título. Claro, o bom número de mods do PC que chegam ao console ajudam também a justificar a minha escolha.

skyrim

Carmageddon: Max Damage Pra muitos, isso daqui é um novo jogo e não um relançamento. Considerando que: 1- a ideia do Carmageddon Reincarnation era relançar/ressuscitar o primeiro Carma, aquele velhão mesmo, onde você atropelava velhinhas em andadores e ganhava pontos de bônus artístico se fizesse isso enquanto derrapava o carro; 2- Carma Max Damage foi a melhoria do Reinc pra consoles, logo depois trazido pro PC; 3- pra quem acompanhou o desenvolvimento desde o Kickstarter do Reinc, viu que ele é efetivamente um relançamento do primeiro, com melhorias; eu considero que é, de longe, o melhor relançamento de 2016.

Cumpre seu objetivo de trazer um clássico de volta de maneira maestral — mesmo que não tenha tido todo o hype que merecia (e que a culpa disso tenha sido exclusiva da Stainless, com as mancadas que deram com o Kickstarter do Reinc).

carmageddon

➧ Surpresa do Ano

Tab titlePedroJoão
Doom – Pode parecer um pouco estranho apontar um Doom como surpresa, mas tenho que admitir que foi essa a sensação que tive com o jogo. Depois de tantos problemas no seu desenvolvimento, eu não esperava muito desse título e ao jogá-lo, acabei encontrando um dos melhores jogos de 2016.

doom

Paladins – Jogo da Hi-Rez Studios ficou conhecido por guardar diversas semelhanças com Overwatch. Mas na verdade, por trás de toda a polêmica criada em fóruns e redes sociais, Paladins é um game muito divertido, free-to-play e que roda na maioria dos bons computadores atuais sem problemas. Aspectos que transformaram-no em um game bastante popular e um dos mais buscados no Google.

paladins

Offworld Trading Company – Acho que o último RTS que eu joguei foi Starcraft 2 – Heart of the Swarm. Ainda não consegui grana e maneira de pegar o Legacy of the Void, mas isso é culpa minha por querer completar a coleção de caixinhas de Edição de Colecionador. Mas foco: OTC foi a surpresa do ano pra mim por ser um RTS como nenhum outro, e eu já nem sonhava mais em gostar de um RTS. Se você precisa de incentivo para pegar esse jogo, que a minha indicação como Surpresa do Ano sirva.

otc

 

➧ Decepção do Ano

DoriPedroJoão
No Man’s Sky – Sim, eu fui dos que acreditou nas promessas da Hello Games e sim, fui um dos que tinha uma grande expectativa pelo No Man’s Sky. Como a maioria, eu também quebrei a cara. É uma pena, o jogo tinha um enorme potencial e a esperança agora é de que o estúdio consiga corrigir alguns erros.

no-mans-sky

No Man’s Sky – Por tudo que foi apresentado sobre o jogo, todas as promessas não cumpridas e o imbróglio sobre o modo multiplayer (que no final, nunca existiu mesmo), No Man’s Sky decepcionou absurdamente todos aqueles que criaram uma grande expectativa. Era apenas um jogo repetitivo e enfadonho.

no-mans-sky-2

Mighty No. 9 Nessa daqui todos os amigos do Vida de Gamer/Vida Extra vão apontar o dedo para mim e dizer: “eu te avisei”, mas o foda é que eu não estou decepcionado por causa do Kickstarter, ou de como rolou o desenvolvimento do jogo –— mas o foda é que o resultado final não me prendeu como eu esperava. E apesar de tudo, eu não culpo os desenvolvedores ou mesmo o Inafune. Acho que a menos que eles fizessem realmente um Mega Man novo, a decepção aqui é culpa minha por conta da expectativa. Eu ainda esperava um Mega Man novo, e MN9 não foi. É um jogo bacana, desafiador, gráficos bons, ótima trilha sonora — só não é um Mega Man.

mn9

➧ Melhor Jogo de 2016

DoriPedroJoão
Owlboy Ao contrário do ano passado, onde eu tinha um claro favorito, dessa vez minha preferência foi dividida entre vários títulos e embora eu adoraria poder colocar todos eles como o melhor, não quebrarei as regras e ficarei com um só. Portanto, pelo conjunto da obra escolho o Owbloy,um jogo que demorou para ser lançado, mas que quando saiu, trouxe gráficos lindos, uma trilha sonora impecável, uma história interessante e principalmente, conseguiu dar uma oxigenada no bom e velho gênero “Plataforma 2D”.

owlboy

Overwatch – Pode parecer uma loucura, pois Overwatch não tem os melhores gráficos, nem a melhor trilha e nem o melhor enredo do ano, mas mesmo assim foi escolhido por mim e por muita gente como o melhor game de 2016. Apesar de não ser o melhor nestes aspectos, cumpre todos eles com louvor, e ainda executa outras tarefas com maestria. Tem um multiplayer competente e sem lag (o que não anula o que eu disse sobre The Division), foi projetado para ser um eSport e ser jogado por pessoas comuns, agradando em cheio a ambos os lados, e arrebatou uma enorme quantidade de fãs em muito pouco tempo. A Blizzard não criou apenas um jogo, lançou um fenômeno cultural que gerou muitos memes, cosplayers e quadrinhos ao longo do ano.

overwatch

Orwell – Eu costumo achar que mando bem de imaginar onde uma história vai me levar — vários filmes acabam sendo óbvios para mim logo no início, no máximo na metade. É um dos motivos pra eu odiar spoilers. Bem, Orwell me impressionou — tanto com o desenvolvimento de sua história, a estrutura de sua narrativa, quanto com suas reviravoltas (seus plot twists pra quem prefere em inglês).

E o pior é que não dá pra falar muito mais do que isso sem estragar o jogo. De verdade, pra mim Orwell desbancou Stellaris (que havia sido minha primeira escolha pra GOTY 2016) de MUITO LONGE, agora que terminei o jogo! =D

orwell

Agora é com vocês. Vote na enquete abaixo e/ou utilize os comentários para dizer qual ou quais forma os seus jogos favoritos em 2016.

Qual foi o melhor jogo de 2016?

Ver Parcial

Carregando ... Carregando ...

Post Author: Dori Prata

Pai em tempo integral do pequeno Nicolas, enquanto se divide escrevendo para o Meio Bit Games, Techtudo e Vida de Gamer, tenta encontrar um tempinho para aproveitar algumas das suas paixões, os filmes, os quadrinhos, o futebol e os videogames. Acredita que um dia conseguirá jogar todos os games da sua coleção.