[Chegaram] Shooters, estratégia e monstros

E depois de um longo tempo sem comprar novos jogos para o meu PSP (na verdade o portátil está encostado há meses), eis que recebo dois títulos para ele, um que sempre quis conhecer e outro que adquiri para aproveitar a oportunidade. Começando pelo desejo antigo, aí está o Jeanne d’Arc, RPG de estratégia desenvolvido pela Level-5 […]



Novas capas personalizadas

Recentemente publiquei aqui no blog um post com várias capas personalizadas que criei para alguns jogos de PC adquiridos na revista FullGames e agora estou de volta com mais alguns deles. Novamente a intenção era deixar as artes o menos poluídas possível, utilizando apenas uma imagem relacionada com o jogo, o seu nome e uma ou outra […]



[Chegaram] Zumbis e outras valquírias

Mostrando que a nossa Receita Federal e/ou Correios são uma bagunça, um dia após ter recebido uma encomenda enviada dos Estados Unidos a cerca de 30 dias, eis que recebo outro que havia sido postado há mais de dois meses, algo que tinha me deixado bastante preocupado e até me feito achar que havia perdido […]



A nova cara do blog (de novo)

No final de maio eu submeti o layout do Vida de Gamer a uma reforma radical, fazendo com que o blog ficasse com uma cara que há muito desejava. Porém, desde então eu vinha notando problemas consideráveis de performance, principalmente ao utilizar o Chrome para acessá-lo e navegar pelos posts estava se tornando algo bastante irritante. Após […]



[Chegaram] Samus e éden

Manter uma coleção com jogos originais não é algo fácil, mas se tem uma coisa que aprendi com o tempo é que precisamos ter paciência ao adquirirmos novos títulos, ainda mais quando temos uma grande quantidade deles na fila para serem aproveitados. É claro que eu gostaria de comprar jogos assim que eles são lançados, mas como […]



Ó, querida Esther!

Aos poucos temos vistos alguns jogos tentarem se aproximar o máximo possível da arte e uma questão tem sido levantada vez ou outra: O que não pode ser classificado como um videogame? E essa dúvida se faz ainda mais presente quando conhecemos o Dear Esther. Com a premissa de nos colocar no papel de um […]